ITINERÁRIOS – Revista de Literatura

Revista do Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários

A Itinerários – Revista de Literatura é uma publicação semestral arbitrada e indexada - avaliada como Qualis B1 (2016-)- , vinculada ao PPG em Estudos Literários. Publica, desde 1990, trabalhos originais das mais variadas linhas de pesquisa dos Estudos Literários produzidos por pesquisadores doutores e doutorandos de instituições nacionais e internacionais, sob a forma de artigos inéditos ou resenhas.

 CHAMADA PARA O NÚMERO 46 - 2018
Dossiê temático

O GÓTICO E AS MULHERES

O gótico, gênero e modo ficcional do medo e do assustador que nasce como crítica à modernidade fundada pelo Iluminismo, sempre esteve atrelado às mulheres. Graças às obras de autoras como Clara Reeve, Ann Radcliffe, Jane Austen, Mary Shelley e as irmãs Brontë, o gótico sedimentou convenções temático-estruturais que ainda hoje o distinguem, popularizando-se no imaginário ocidental sob as mais diversas formas de linguagem. Em virtude de seu caráter contestador e transgressor, autoras fundamentais da literatura e ficção contemporâneas, como Emily Dickinson, Kate Chopin, Virginia Woolf, Angela Carter, Clarice Lispector e Alice Munro, por ele transitaram e a ele conferiram novos contornos ainda mais assustadores. Este dossiê temático da Revista Itinerários pretende acolher trabalhos que reflitam sobre as diversas relações entre o gótico e as mulheres, em quaisquer nacionalidades e períodos da história da literatura, da ficção e/ou das artes; sob quaisquer vieses teórico-críticos e com os mais variados enfoques (por exemplo, mas jamais se restringindo a apenas estes, o gótico de autoria feminina, as personagens femininas na literatura e ficção góticas, a relação dos autores homens com o gótico e as mulheres, a relação das mulheres com o gótico enquanto teoria e crítica da literatura, da arte, da ficção e da cultura, etc.).

THE GOTHIC AND WOMEN

As the genre and the fictional mode of fear and scary that rises to criticize the modernity established by Enlightenment, gothic has always been closely linked to women. Writers like Clara Reeve, Ann Radcliffe, Jane Austen, Mary Shelley, and the Brontë sisters helped the gothic to settle its up-to-date and distinctive thematic and structural conventions, making it popular in the Western imagination in its most diverse forms and manifestations. Due to its contesting and transgressive spirit, writers that are fundamental to the contemporary literature and fiction like Emily Dickinson, Kate Chopin, Virginia Woolf, Angela Carter, Clarice Lispector, and Alice Munro have employed gothic conventions, granting new and even more frightening shapes and frames to them. This Revista Itinerários thematic dossier will welcome papers that approach the many possible relations between the gothic and women in any nationalities and periods of the literary, fictional, and/or artistic history, under any theoretical and critical perspectives, and with the most varied focuses (for example, but never restricted only to these: the female gothic, the female characters in gothic literature and fiction, the relationship of the male writers with the gothic and women, the relationship of women with the gothic as literary, artistic, fiction, and culture theory and criticism, etc.).

Organizadores:
Cido Rossi (UNESP – FCL-CAr)
Luciana Colucci (UFTM)

 

CHAMADA PARA O NÚMERO 47- 2018
Dossiê temático

LITERATURA NEGRA NO BRASIL

A Literatura Negra Brasileira, também denominada Literatura Afro-brasileira ou Afrodescendente, apesar do visível espaço que vem ganhando no discurso acadêmico, ainda encontra restrições na abordagem historiográfica brasileira que não vê as especificidades dos discursos de cidadãos negros, como sujeitos de sua própria história, no âmbito do sistema literário nacional. O escritor negro experimenta a vivência em um país que legitima paradigmas estéticos, por meio de mecanismos que promovem a exclusão e a discriminação racial. Revisando e problematizando o conceito unívoco de identidade nacional construído a partir de padrões de uma elite empenhada na manutenção de valores brancos, essa vertente literária, nascida fora da África, mas que incorpora elementos culturais de origem africana, encena uma subjetividade individual e coletiva (um eu-enunciador que é nós) como espaço de resistência e enfrentamento. Mais do que a cor da pele ou as origens étnicas do escritor, a literatura negra ressignifica o conceito de identidade, a partir da diferença, buscando imprimir as marcas identitárias do sujeito étnico negro-brasileiro numa sociedade orientada por valores brancos. Esse dossiê temático receberá artigos que reflitam, a partir de múltiplos aportes teóricos e críticos, sobre a literatura negra brasileira em narrativa, drama e poesia, tais como: tradição, memória individual/coletiva, ancestralidade, identidades, o legado da diáspora, literatura feminina negra, o negro como objeto e sujeito na literatura, hibridismo cultural e outros.

BLACK LITERATURE IN BRAZIL

Even though Brazilian Black Literature (also known as Afro-Brazilian Literature or Afrodescendant) has been gaining visible space in the academic discourse, it still finds restrictions when it comes to the Brazilian historiographical approach, which doesn’t see the specificity of black citizens’ discourses, as subjects of their own history in the scope of the national literary system. The black writer experiences life in a country that legitimates aesthetic paradigms through mechanisms which promote exclusion and racial discrimination.  This literary branch, which was born outside of Africa but still incorporates cultural elements of African origin, stages an individual and collective subjectivity (an I - enunciator who is us) as a space of resistance and confrontation. It does so by revising and problematizing the univocal concept of national identity built from standards of an elite which is committed to the maintenance of white values. Going further than the author’s skin color or ethnic origins, black literature gives a new meaning to the concept of identity from difference, intending to imprint the identity marks of the black-Brazilian ethnic subject on a society guided by white values. This thematic dossier will receive papers that reflect from multiple theoretical and critical contributions on Brazil’s black literature in narrative, drama and poetry, such as: tradition, individual/collective memory, ancestry, identities, the legacy of diaspora, black female literature, the black individual as object and subject in literature, cultural hybridism and others. 

Organizadores:
Paulo Andrade (UNESP/ FCL-Ar)
Rosangela Sartechi (USP)


Prazo de submissão: 30 de novembro de 2017.




n.43, 2016

Edição completa

Ver ou baixar a edição completa PDF

Sumário

Apresentação

Apresentação
Maria Célia de Moraes Leonel, Adalberto Luis Vicente
PDF

Literaturas de língua italiana

Ekaterina Vólkova Américo
PDF
Paulo Fernando Zaganin Rosa
PDF
Gabriela Kvacek Betella
PDF
Priscila Malfatti Vieira Corilow
PDF
Giselle Larizzatti Agazzi
PDF
Paula Regina Siega
PDF
Ivair Carlos Castelan
PDF
Gisele Batista da Silva
PDF
Karine Simoni, Karina Bez Batti
PDF
Fabiano Dalla Bona, Roberta Barni
PDF

Varia

Gustavo Ponciano Cunha de Oliveira, Jamesson Buarque de Souza
PDF
Rodrigo Cerqueira
PDF

Resenhas

A fenomenologia hermenêutica de Paul Ricoeur
Candice Angélica Borborema de Carvalho
PDF